Chapa Quente

O ano de 2012 acabou com uma notícia triste para o Rio de Janeiro, que foi a morte da menina Adrielly dos Santos, que esperou mais de oito horas por uma cirurgia pela falta de um médico no plantão de natal do hospital Salgado Filho. A população sempre questionou as deficiências da saúde pública, como a falta de profissionais, de leitos ou má qualidade dos hospitais. Mas esse caso nos leva a pensar por outro lado e indagar uma figura antes vista como um ser heróico da sociedade: o médico.

Claro que todo médico precisa de condições de trabalho, mas um servidor público não pode alegar que discorda das regras de um plantão e, por causa disso, passa a faltar em todas as escalas, comprometendo o atendimento do hospital. Lembro que um dos primeiros posts deste blog falou sobre a colocação de chips nos jalecos e muitos profissionais foram contra, já que a tecnologia serviria para vigiar quando os médicos faltam. Também se fala na obrigatoriedade da colocação do sistema biométrico para comprovar a presença de cada profissional. Tais debates nos fazem pensar e lembrar com nostalgia do tempo em que o médico lutava, incansavelmente, por uma vida humana. Quando exercer a medicina era uma dádiva e não uma profissão. Quem decide seguir essa vocação sabe o que isso significa quando opta por este curso. Os editais de concurso são claros quanto à carga horária e remuneração, que no decorrer dos anos vai melhorando. Além disso, o serviço público garante estabilidade e aposentadoria integral, o que nenhum profissional com CLT tem. Claro que existem médicos que ainda carregam esse espírito e cumprem com o seu papel todos os dias. Uma coisa está clara: a população já não tolera mais a desculpa esfarrapada de baixos salários e falta de estrutura para o não cumprimento de um dever que foi uma escolha do cidadão e não uma obrigação. Quem não está satisfeito tem total liberdade para pedir demissão.

Anúncios

One thought on “Chapa Quente

  1. Essa é uma questão bastante polêmica e que é discutida há anos. A velha desculpa do baixo salário para justificar a falta ao trabalho. Não entendo o motivo da indignação desses profissionais. Quando prestei concurso para a prefeitura o edital era claro em relação ao salário e eu topei trabalhar pelo que era proposto.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s